Diretor do Datafolha defende Lula abertamente

É comum presenciarmos pesquisas do Datafolha que, claramente, são feitas para beneficiar Lula e prejudicar seus adversários.

Isso é uma estratégia muito simples onde os entrevistadores fazem perguntas para as pessoas com a intenção de colocar alguma ideia na cabeça delas e depois disseminar a pesquisa nos meios de comunicação para dar a entender algo que seja favorável aos objetivos do grupo.

Um bom exemplo foi a pergunta: Você sabia que Jair Bolsonaro foi acusado de enriquecimento ilícito?

O fato é que não teve nenhuma acusação oficial sobre enriquecimento ilícito. As únicas acusações foram de seus opositores. No entanto o Datafolha pegou acusações sem nenhum fundamento feitas por pessoas aleatórias e colocou em uma pesquisa. O que demonstra que suas pesquisas não possuem nenhuma confiabilidade.

Qualquer um é capaz de perceber a intenção clara de dar a entender que Bolsonaro teria enriquecido com dinheiro roubado. E falam em “acusação de enriquecimento ilícito” como se tivesse algum orgão jurídico investigando o caso. O que não tem.

As acusações partiram de pessoas da oposição dando a entender que o patrimônio de Bolsonaro subiu demais em pouco tempo. Porém, qualquer um que saiba do que se trata compreende que o tal enriquecimento de Bolsonaro aconteceu porque os preços dos imóveis subiram muito nos últimos anos. Então, é claro que qualquer um que tivesse vários imóveis no começo ficaria um pouco mais rico hoje.

E, se o Datafolha fosse um órgão sério nem daria importância pra esse tipo de coisa. No entanto esta instituição tem intenções claramente políticas e se utiliza destas pesquisas para fazer apologia a algum político específico.

E vemos isso de forma bem clara quando Mauro Paulino, diretor do Datafolha, declarou que “a inelegibilidade de ex-presidente Lula aprofunda a crise democrática”.

 

 

Ou seja, esta declaração nos revela a intenção de defender a ideia de que Lula está passando por uma injustiça e de que sua condenação seria um ataque contra a democracia.

Em resumo: “Eleição sem Lula é fraude”.

Então é de se esperar que toda a estrutura do Datafolha seja utilizada para tentar transmitir essa ideia para as pessoas.